• 1
  • 2
  • 3
acontece_machico
História de Machico

Em julho de 1419 João Gonçalves Zarco e Tristão "das ilhas" desembarcaram na formosa praia de Machico e o início à gloriosa epopeia dos descobrimentos portugueses, acontecia.

Em Machico, foi celebrado por padres franciscanos a primeira missa na Madeira, no dia da visita de Santa Isabel, como forma de agradecimento da descoberta.

A origem do nome de Machico é alvo de muito debate havendo mesmo várias teorias acerca da sua classificação. Contudo, a mais popular é a versão romântica referente à lenda de Robert Machim e Ana d’Arfet, amantes e apaixonados que naufragaram em Machico.

A 8 de maio de 1440 o infante D. Henrique doa a Tristão Vaz e seus descendentes, a Capitania de Machico (que se estendia desde a Ponta da Oliveira, no Caniço, até à Ponta de S. Lourenço e desta até à Ponta do Tristão, no Porto Moniz).

Ainda no século XV, aproveitando a abundante água e o excelente clima, por toda a capitania, desenvolve-se a produção de cana-de-açúcar, aparecendo os primeiros engenhos que transformam esta cana em pães de açúcar que são exportados para toda a Europa.

Em 1494 a capitania fornecia um quinto da produção regional que, segundo o cónego da Sé Jerónimo Dias Leite, foi em Machico que se ensaiou o fabrico de açúcar. "(...) o primeiro açúcar que se vendeu nesta ilha da Madeira foi na vila de Machico donde se começou a fazer e recolheram treze arrobas dele que se vendeu cada arroba a cinco cruzados (...)".

Machico cresce economicamente graças ao lucrativo comércio. Algumas famílias tornam-se socialmente poderosas, entre as quais, a família dos Capitães-Donatários. E é esta importante família que vai erigir a Igreja Matriz de Machico, em finais do século XV, tendo como orago a Nossa Senhora da Conceição.

Machico torna-se, assim, a primeira sede de capitania do arquipélago da Madeira.

O povoado de Machico, tornado vila por certo de criação simultânea com a do Funchal (segunda metade do século XV), cresceu junto à ribeira protegido pela encosta, ao longo do vale. A vila, compreendia em meados do século XVI, dois polos centrais. Do lado direito da ribeira, o bairro da vila com os principais edifícios públicos (Câmara, Alfândega e Igreja) e do lado esquerdo, o núcleo populacional da Banda d'Além, onde se localizava a Misericórdia e a Capela de Cristo, atualmente Capela do Senhor dos Milagres.

Ao longo de cinco séculos a localidade foi crescendo à custa da luta das gentes residentes contra a implacável natureza e insularidade local.

Cultura e Tradição

A Arte de Bem Receber

Tradição, herança, natureza, geologia, aventura, desporto, gastronomia e negócios, são apenas algumas palavras que se associam no imediato à oferta turística de Machico, e à arte de bem receber, enquanto parte integrante de uma Pérola Atlântica, por si só, multifacetada na sua diversidade natural e cultural.


História e Tradições Vivas

O concelho de Machico dá voz e sentido próprio à riquíssima herança cultural madeirense, que perdura graças à paixão pelas raízes e tradições dos antepassados.

Mercado Quinhentista

O maior festival etnográfico e medieval da Madeira acontece em Machico, na Baía dos Descobrimentos.

Tradições com mais de 500 anos, contadas e recriadas pelos nossos tempos…

Tradições Religiosas

O concelho de Machico é uma terra onde a crença religiosa e a fé dão corpo a um conjunto de celebrações ano após ano.

Conheça e participe as nossas Tradições Vivas.

Museu da Baleia

A caça à baleia, no início da década 40, marcou uma época importante no crescimento socioeconómico da Madeira e do concelho de Machico em particular.

É no Museu da Baleia que pode viajar até esse tempo.

Pesca

A ligação ao mar fez nascer a arte piscatória na captação dos tunídeos, que é hoje uma referência gastronómica da Madeira, sendo no Caniçal onde se encontram os maiores armadores.

Cana de açúcar

Conhecido como o Ouro Branco desde o povoamento da Ilha, a Cana de Açúcar foi outrora um dos principais polos produtivos da Europa.

Hoje, suporta duas das referencias espirituosas regionais: O Rum da Madeira e a Poncha da Madeira. Conheça o engenho do Porto da Cruz e toda a sua história….

Museu da Baleia

A caça à baleia, no início da década 40, marcou uma época importante no crescimento socioeconómico da Madeira e do concelho de Machico em particular.

É no Museu da Baleia que pode viajar até esse tempo.

Mercado Quinhentista

O maior festival etnográfico e medieval da Madeira acontece em Machico, na Baía dos Descobrimentos.

Tradições com mais de 500 anos, contadas e recriadas pelos nossos tempos…

Tradições Religiosas

O concelho de Machico é uma terra onde a crença religiosa e a fé dão corpo a um conjunto de celebrações ano após ano.

Conheça e participe as nossas Tradições Vivas.

Pesca

A ligação ao mar fez nascer a arte piscatória na captação dos tunídeos, que é hoje uma referência gastronómica da Madeira, sendo no Caniçal onde se encontram os maiores armadores.

Cana de açúcar

Conhecido como o Ouro Branco desde o povoamento da Ilha, a Cana de Açúcar foi outrora um dos principais polos produtivos da Europa.

Hoje, suporta duas das referencias espirituosas regionais: O Rum da Madeira e a Poncha da Madeira. Conheça o engenho do Porto da Cruz e conheça toda a história….

Costa Este
Pontos de Interesse

Descubra e visite alguns dos pontos de interesse que a Costa Este tem para si...